Santos ofícios: as articulações entre a tradição e a medicina – uma série YAP

Curar através das benzeduras. No interior de Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha, vivem as duas Rosas. Rosa Pertille e Rosa Carolina Tomasi. Duas mulheres de idades avançadas, diversas histórias para contar e a vontade em comum de ajudar aqueles que precisam. 

À partir do relato destas agentes informais de saúde e da fé na serra gaúcha You Agency Press (YAP) inicia uma série de reportagens que explora a experiência das benzeduras na vida daqueles que a praticam ou tem recurso na busca de alívio às mazelas do corpo e do espírito. 

Gane Colada @Yap

O que se constata é que, muito embora a medicina ocupe um espaço fundamental na sociedade pós-moderna, antigos ofícios populares permanecem como tratamentos alternativos.

Um exemplo da prevalência deste costume é o que se passa no Paraná. Desde 2010, benzedeiras de duas cidades paranaenses, Rebouças e São João do Triunfo, têm suas atividades reconhecidas por leis municipais pioneiras no Brasil.

Ainda assim, a prática não recolhe a unanimidade entre profissionais de saúde e da ciência médica. No último capítulo da série, vamos explorar o que se pode afirmar sobre a eficácia e os potenciais malefícios desta tradição de influência jesuíta e indígena.

No primeiro capítulo, vamos conhecer as duas Rosas da montanha e as histórias de fé e redenção que elas tem para contar. Uma série exclusiva YAP realizada por Karine Menoncin:

Duas Rosas, muitas rezas na busca de alívio através da benzedura

Karine

Uma gaúcha do interior que se descobriu na capital. Jornalista, social media, apaixonada por fotografia, turismo, culinária e histórias.

Conteúdo Relacionado

Forte mobilização em Paris contra a reforma do regime de aposentadoria na França 36 dias após o início do movimento

700 mil contra o projeto de reforma das aposentadorias em mais um dia de protestos em toda a França

No 7° dia de greve integra do projeto de reforma do regime de aposentadorias na França é rejeitado pela oposição e sindicatos

Braço de ferro continua entre governo e grevistas, nos transportes, nas ruas, contra a reforma do regime de aposentadorias na França

Deixe uma resposta