Daily de la Présidentielle 2017 – Alain Juppé não será o candidato da direita, reiterou o prefeito de Bordeaux

  • Manchete Le Monde deste 5 de março: Juppé renúncia, direita à beira da ruptura
  • O diretório national de Les Républicains (LR) se reúne neste inicio de noite (18h de Paris) em regime de urgência para “avaliar a situação
  • O ex-presidente Nicolas Sarkosy propõe um encontro entre ele e os dois finalistas das primárias do ano passado para encontrar “uma saída digna e viável  à uma situação que não pode mais durar (como esta)”.
  • François Fillon aceita discutir com Nicolas Sarkosy. Juppé diz que estará em Paris nesta terça-feira (amanhã)

 

IMG_0513
Centro de Orléans

Encerrando este vivo com a manutenção da candidatura François Fillon. Uma reunião matinal de juppeistas esta marcada para amanhã. Uma reunião de saída de crise em torno de Nicolas Sarkosy entre o ex-chefe do Estado, François Fillon e Alain Juppé esta prevista para à tarde de quarta-feira, 7 de Março.

Amanhã, o candidato Fillon faz campanha na cidade de Orléans há uma hora e meia ao sul de Paris.

Boa Noite

 

 

 

 

Ao Vivo (encerrado)

19:44

Gérard Larcher, presidente do Senado, ao deixar  reunião do diretório:

Les Républicains sont unis derrière François Fillon”

“Os Republicanos estão unidos por François Fillon”

19:17

Sem o poder de virar à mesa, o diretório nacional do partido Les Républicains (LR), nesta sexta-feira, conclama os militantes de direita e do centro à se reunir em favor da candidatura de François Fillon.

19:15

François Fillon abriu a reunião do diretória assim:

Il est temps maintenant que chacun se reprenne et revienne à la raison. Nos électeurs ne pardonneraient pas ceux qui entretiennent le poison de la division. Nous avons perdu trop de temps en discussions vaines, laissant le champ libre à l’extrême droite et aux candidats de la gauche qui se frottent les mains en contemplant notre désunion. Il est temps pour chacun de faire campagne et de reconstruire une alternative crédible.

“O tempo agora chama à que cada um se recentre e volte à razão. Nossos eleitores não perdoarão àqueles que entretem o veneno da divisão. Nos perdemos muito tempo em discussões vãs, deixando o campo livre à extrema direita e aos candidatos da esquerda esfregam as mãos observando nossa desunião. O tempo exige que cada um faça campanha e reconstrua uma alternativa viável.”

19:00

Lembrando: pelas regras das primarias, o diretório nacional não tem o poder de destituir François Fillon. A Reunião de hoje à noite pode apenas aconselhar, persuadir e conciliar.

18:45

François Fillon perde dois pontos percentuais em menos de uma semana no rolling do instituto Ifop para Paris Match. A pesquisa eleitoral cotidiana ponta Marine Le Pen à 26,5% seguida de perto por Emmanuel Macron à 25,5% das intenções de voto. François recolhe 19% das intenções.

http://www.parismatch.com/La-presidentielle-en-temps-reel

18:07

François Fillon chega a sede do partido LR para a reunião do diretório nacional.

17:30

O senador Jean-Pierre Raffarin anúncio via Twitter que uma café da manhã Juppeista no senado pela manha de terça-feira.

17:19

A direita em busca de uma alternativa explora duas opções, prioritariamente, desde de a retirada de Alain Juppé.

François Baroin, Sarkosista que continua fiel à Fillon tem a preferência da linha dura do Partido. No entanto, Juppé não daria sua benção à tal solução posto que os dois são conhecidos desafeto cortêses.

A UDI propõe nome de Jean-Louis Borloo. O ex-ministro de Nicola Sarkosy, uma vez ventilado como substituto de François Fillon como primeiro ministro, se afastou da direção do partido centrista mas ainda é visto como uma liderança que conta.

Ele ainda não se pronunciou sobre à crise que ameaça a candidatura de François Fillon

17:12

A reunião entre Sarkosy, Fillon e Juppé poderá acontecer na quarta-feira, 7 de março

O que poderia sugerir que a expectativa de que o encontro do diretória desta noite deve se fechar sem solução ao impasse Fillon

15:44

Após a demonstração de força de François Fillon diante de uma platéia galvanizada pelo sentimento de injustiça, a candidatura do ex-primeiro ministro, apesar de combalida pelos escândalos de emprego fantasma, por enquanto, segue em frente. Isso não significa que as pressões para que Alain Juppé, derrotado nas primarias de 2016, retorne à campanha cessaram. Paradoxalmente, o vigor demonstrado pela militância,  trouxe novos abandonos na noite de domingo – mais de 300 políticos abandonaram o navio – e maior clamor de dirigentes da direita e do centro pelo fim do impasse.

No entanto, Alain Juppé se retirou da equação. hoje pela manhã, em uma coletiva organizada as pressas, o prefeito de Bordeaux enterrou definitivamente as ilusões das inúmeras lideranças do partido que acreditavam que a volta de Juppé a disputa presidencial poderia lhes conduzir a vitória Final.

Mas o experiente eleito do sudoeste sobre resumir a situação. Impiedoso, Juppé  fulminou a defesa de François Fillon, que segundo ele “se funda sobre um pressuposto complô e uma vontade de assassinato político”  que conduziu a candidatura da direita e do centro à um “impasse”.

Ele disse mais. Em uma forma de resumo da conjuntura atual ele explicou assim a decisão anunciada:

Je ne suis pas en mesure de réaliser le nécessaire rassemblement autour d’un projet fédérateur, c’est pourquoi je confirme – une bonne fois pour toutes – que je ne serai pas candidat à la présidence de la République »

Eu não estou em condições de criar a reunião necessária em torno de um projeto que federe, razão pela qual eu confirmo – pela última vez – que eu não serei candidato à Presidência da República (francesa).

« Comme l’a montré, hier, la manifestation au Trocadéro, le noyau des militants LR s’est radicalisé. »

Como mostrou, ontem, a manifestação do Trocadéro, o núcleo da militância LR se radicalizou”

O que, como compreendeu o prefeito de Bordeaux, o impede de recolar todos os blocos do partido. Ideologicamente, Alain Juppé, um reformista ultra-liberal, é visto pelo eleitorado da direita dura, numeroso no comício de ontem em Paris, o ex-chanceler de Nicolas Sarkosy é quase um homem de esquerda.

Daí o apego da base à candidatura Fillon. O ex-primeiro ministro e ultra liberal economicamente e pro europeu mas que ao mesmo tempo tem posições radicais sobre o combate ao islamismo, sobre o papel da família tradicional na sociedade e sobre a imigração e a identidade francesa.

Uma visão estrita da nacionalidade, do papel da religião islâmica no seio da sociedade francesa e da moral e dos costumes que um candidato Juppé não endossaria forçando, assim, a base em direção da abstenção ou de Marine Le Pen.

François Fillon e sua matriz ideológica que dá um pedaço do programa presidencial às três direitas que, historicamente, compõe a base sociológica desta família política.  Em outras palavra, Fillon era o mínimo denominador comum entre todas as direitas em conflito há uma década.

Esta capacidade de reunir além do núcleo duro do eleitorado de direita que o transformou em super favorito após a vitoria que obteve durante as primárias. E, ainda hoje, é o que parece mantê-lo à frente da coalisão que o escolheu. Isso por quê, neste momento, ninguém poderia assumir e unir à direita e o centro.

Além disso, legalmente, nem a justiça vilipendiada pelo candidato, pode impedi-lo de concorrer até o fim. O que mais, François Fillon soube controlar os fundos de campanha de maneira que uma terceira candidatura teria que obter seu acordo para movimentar butin pelo restante da campanha.

So uma solução política aceitável aos olhos do obstinado deputado de Paris poderá dar um caminho de saída do impasse.

 

 

Conteúdo Relacionado

Forte mobilização em Paris contra a reforma do regime de aposentadoria na França 36 dias após o início do movimento

700 mil contra o projeto de reforma das aposentadorias em mais um dia de protestos em toda a França

No 7° dia de greve integra do projeto de reforma do regime de aposentadorias na França é rejeitado pela oposição e sindicatos

Braço de ferro continua entre governo e grevistas, nos transportes, nas ruas, contra a reforma do regime de aposentadorias na França

Deixe uma resposta