Habitantes do campus de Saint-Denis – Coletiva de Imprensa

*** Atualização: até à tarde desta quarta-feira (dia 20 de junho), apesar da apreensão do ocupantes e dos apoiadores da causa destes refugiados, não houve intervenção policial para forçar a retirada dos cerca de 140 migrantes vivendo do campus da universidade. 

De acordo com as informações vindas de fontes ligadas ao movimento de apoio aos “moradores de P8” – como estes refugiados passaram à ser conhecidos – outros simpatizantes têm vindo engrossar as fileiras da “resistência” à expulsão que se organizou. O que teria elevado o número de habitantes do Prédio A do campus à cerca de 300 pessoas durante à madrugada/manhã. Período do dia no qual uma eventual ação policial é mais provável.

***

(18 de junho) O coletivo de “cidadãos solidários” que acompanham os refugiados que vivem, há quase 5 meses de maneira irregular em um prédio do campus da Universidade de Saint-Denis -Paris 8, ao norte de Paris, publicou vídeo legendado das respostas concedidas à YAP durante coletiva de imprensa realizada na semana passada com o objetivo de denunciar uma possível expulsão nesta segunda-feira (18 de junho). Os residentes se dizem dispostos à resistir até a obtenção de um visto e de moradia.

De acordo com as últimas informações, a evacuação forçada, que necessitaria da autorização da reitora Annick Allaigre para que uma força de polícia possa penetrar no campus, pode acontecer à qualquer momento. YAP não pode confirmar esta informação de maneira independente. A reitoria, desde o inicio do mês de junho, não tem comunicado com a imprensa local ou internacional. Assista o trecho, legendado em francês, das respostas dadas por Netsanet, morador etíope de Paris 8.

 

Conteúdo Relacionado

Forte mobilização em Paris contra a reforma do regime de aposentadoria na França 36 dias após o início do movimento

700 mil contra o projeto de reforma das aposentadorias em mais um dia de protestos em toda a França

No 7° dia de greve integra do projeto de reforma do regime de aposentadorias na França é rejeitado pela oposição e sindicatos

Braço de ferro continua entre governo e grevistas, nos transportes, nas ruas, contra a reforma do regime de aposentadorias na França

Deixe uma resposta